Welcome to Castle Ravenloft

A Queda da Casa de Durst, Capítulo 1

Uma macabra casa é o amparo final em meio às brumas.

Após um misterioso naufrágio no Sea of Fallen Stars, Leonar Hammerhand, Durden Cindernocker, Ellion e Mellora Ashbringer despertam em um local desconhecido, onde uma misteriosa neblina parece brincar com a mente de cada um. Perdidos no meio de uma aterrorizante floresta, os sobreviventes do naufrágio seguem um caminho de chão batido que os leva até decrépitos portões de ferro, guardados por estátuas antigas e que o tempo fez questão em danificar. À entrada do vilarejo, de prédios decadentes e aparência miserável, Leonar Hammerhand, a paladina anã é envolvida pelas perpétuas brumas e, desnorteada, tem o que parece ser uma visão: uma figura de olhar sombrio, aparência pálida como a neblina que os envolvem, uma elegante capa negra que cobre roupas sofisticadas de tom avermelhado, encara longa e pesadamente a anã. Parece estudá-la com o olhar antes de desaparecer na densa neblina, deixando somente uma sensação de cansaço na paladina, que logo é resgatada pelos seus companheiros.
Rose_and_Thorn.png
À frente de uma casa, que parece ser o único local acessível no meio daquela neblina sinistra, duas crianças (Rosavalda e Thornboldt Durst) encontram o grupo de aventureiros. Assustadas e com medo de voltar à casa “até que o monstro se acalme”, elas recebem o carinho e a proteção dos aventureiros, especialmente nas figuras do humano aventureiro Ellion e de Leonar. Os aventureiros descobrem que o monstro está trancafiado no porão junto com a mãe das crianças e que, no terceiro andar, Walter, o irmão mais novo, está dormindo. Thorn culpa o choro do recém-nascido pelo monstro ter ficado brabo. Sem muito tempo a perder, os aventureiros prosseguem para dentro da casa, enquanto Rose e Thorn concordam em esperá-los no pórtico.
Apesar de experimentarem alucinações dentro da casa, algo que ocorreu também fora dela, o primeiro andar da residência Durst não apresentava sinais de anormalidade. Parecia sim ser uma casa bastante luxuosa, de uma família da aristocracia de uma cultura que não lhes é familiar. Os aventureiros tinham cada vez mais certeza de que aquela terra não era alguma ilha perdida no Sea of Fallen Stars.
No segundo andar, contudo, um cômodo secreto na biblioteca da casa dá pistas sobre a natureza do “monstro” que Rose e Thorn temem. Livros, tomos e anotações sobre rituais demoníacos, sacrifícios humanos e registros sobre um culto conhecido como “os Ministros de Osybus” são encontrados, além de uma carta escrita por Strahd von Zarovich. Ellion, Mellora e Leonar parecem cada vez mais temerários conforme exploram o local, enquanto o gnomo Durden Cindernocker, menos tomado pelo medo que seus companheiros, demonstra maior curiosidade e naturalidade que os demais. Os aventureiros, sem encontrar qualquer indício de que haja realmente um porão naquela casa, decidem subir para o terceiro andar.
O terceiro andar é notavelmente mais empoeirado e tomado por sinais de idade. Até mesmo os degraus da escada de mármore-vermelho que conecta os três primeiros andares principais da casa de quatro andares, sendo o quarto, aparentemente, um sótão, parecem terem sido substituídos por madeira gasta e tomada por teias de aranha ao chegar naquele andar. Mas pouco tempo os aventureiros tiveram para explorar. Controlado por poderosa magia, um conjunto de armadura feita de aço envelhecido rompe algumas teias de aranha e, assim que Leonar Hammerhand se aproxima da peça, ataca brutalmente a paladina anã. Sua lança atravessa a armadura que protege a serva de Berronar Truesilver, que resiste bravamente aos ferimentos e se interpõe entre a armadura animada e seus companheiros mais frágeis. Ellion, corajosamente, coloca-se ao lado da anã e juntos confrontam a armadura de igual para igual, enquanto Mellora Ashbringer canaliza suas orações para manter a anã segura, sendo esta um alvo constante dos ataques da peça metálica. Leonar propõe que os demais batam em retirada enquanto ela segura o inimigo. Mellora Ashbringer é a primeira a descer para o andar inferior, seguida por seu companheiro gnomo, armado com uma besta de mão. Ellion, apesar de ileso, ao notar que não consegue causar grande dano ao oponente, decide descer. A paladina é a última a recuar, sempre mantendo a peça de armadura sob a ameaça de seu martelo.
Novamente no segundo andar, a armadura animada confronta a paladina, enquanto é atacada à distância pelos demais. Logo diante os olhos de Ellion, a ponta de lança do inimigo perfura brutalmente a garganta da anã, que cai sangrando incessantemente no chão, somente para ser golpeada outra vez pela armadura. Em uma ação desesperada, o bravo aventureiro busca empurrar o construto, mas lhe falta força suficiente para isso e acaba sendo jogado de volta à sua posição pela pujança da armadura metálica. Segundos depois, a anã não resiste aos ferimentos e, perdendo sangue, perece em frente a seus companheiros. A morte da paladina parece mexer com os brios dos aventureiros. Ellion e Durden desferem seus melhores ataques contra o inimigo, que é destruído pela adaga e pela besta dos dois aventureiros incrédulos. Com um a menos, resta aos sobreviventes recobrar energias e honrar a valentia da anã, cuja valentia e sacrifício ajudou os demais a saírem intocados do combate. A Residência Durst dá funestas boas-vindas aos seus novos hóspedes.

Comments

charruatherogue

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.